100%

Vereadores pedem ações para valorizar produtores de leite

Vereadores pedem ações para valorizar produtores de leite Moção de apelo de todos os vereadores pede mais atenção à produção leiteira
A Câmara de São Miguel do Oeste aprovou uma moção de apelo de autoria de todos os vereadores solicitando aos órgãos competentes do Município, do Estado e da União que se sensibilizem com os produtores de leite e valorizem mais a produção regional e nacional. Os vereadores pedem que os órgãos tomem “as devidas providências no sentido de promover a imediata elevação na taxação dos produtos lácteos importados e o imediato aumento do preço do litro de leite comercializado”. Os vereadores também solicitam a redução da importação de leite do Uruguai e demais países vizinhos. A moção foi votada na sessão desta terça-feira (18), a última ordinária de 2018.

“Necessita-se com urgência uma política de estabilização, pois se isso não acontecer em curto espaço de tempo, teremos o caos no campo, pois inúmeras famílias estarão fadadas à falência, visto que a produção de leite e gado de corte, principalmente nas pequenas propriedades, são fontes de renda constantes e que sustentam as famílias e lhes promovem a esperança de ainda acreditar na atividade”, ressaltam os vereadores.

“Esta crise do leite prejudica muito os pequenos produtores, que não veem outro caminho a não ser abandonar a atividade, sendo que estes já estariam até mesmo vendendo para abate as vacas ou repassando-as para produtores maiores, que têm condições de enfrentar o problema. Esta atividade, realmente, passa por momentos difíceis em sua economia, mas tem que buscar alternativas”, acrescentam os autores da moção, ressaltando que a atividade leiteira é um dos principais geradores de emprego e renda no campo.

A moção de apelo será entregue ao prefeito Wilson Trevisan, ao secretário municipal de Agricultura Renato Romancini, ao secretário estadual de Agricultura Airton Spies, e ao deputado Moacir Sopelsa, presidente da Frente Parlamentar Catarinense de Defesa dos Produtores de Leite, a deputados estaduais, federais e senadores.

ESTACIONAMENTO DE ÔNIBUS

Na sessão também foi apresentada indicação de Vanirto Conrad (PDT) solicitando à secretária de Urbanismo e ao presidente do Cotrasmo que demarquem vaga de estacionamento para ônibus na Rua La Salle, nas proximidades da Praça Walnir Bottaro Daniel, ou na Rua Padre Aurélio Canzi, próximo à Gruta. Conforme Vanirto, as vagas serviriam para estacionamento exclusivo de ônibus do município e de outras localidades, por ocasião de eventos realizados no Salão Paroquial.

RUAS NO AGOSTINI

Os vereadores também aprovaram três projetos de lei em segundo turno dando nome a ruas no Bairro Agostini. Também foi aprovado um Projeto de Lei Complementar. Confira mais informações abaixo:

Projeto de Lei 79/2018: de autoria de Milto Annoni (PR), denomina de “Rua Manoel Alzemiro Juvenardi” a Rua Projetada I, situada no Loteamento Eduardo Agostini II, no Bairro Agostini. O homenageado nasceu em 1936, em Canela, no Rio Grande do Sul. Mudou-se para São Miguel do Oeste ainda menino, junto a seus pais José Juvenardi e Celestina Hass. Em São Miguel constituiu família, casando-se com Iraci Juvenardi. O casal teve cinco filhos: Leoni, Cleoni, Roni, Eva e Fernando.

Manoel Juvenardi foi funcionário público, trabalhando por 37 anos na Prefeitura como operador de máquinas, motorista da Secretaria de Saúde e chefe de equipe. Foi um pai presente, muito guerreiro, gostava de ajudar, era participativo na comunidade e principalmente nas festas da Igreja Matriz. Faleceu em 7 de dezembro de 2004, após lutar contra um câncer.

Projeto de Lei 80/2018: de autoria de Maria Tereza Capra (PT), denomina de “Rua Pierina Ferronatto Barichello” a Rua Projetada B, situada no Loteamento Eduardo Agostini II, no Bairro Agostini. A homenageada nasceu em 1936, em Sarandi, no Rio Grande do Sul, e desde 1944 reside em São Miguel do Oeste. Em São Miguel a família abriu um comércio de armarinhos onde hoje é o Hotel Lodi.

Pierina casou-se com Garibaldi Barichello, e dessa união tiveram três filhos: Rubia Mara, Jaqueline e Gioveni (em memória). Em 1961, o casal abriu o bar na rodoviária, no local onde hoje é as Lojas Colombo. Também construíram o restaurante e posto de gasolina Copacabana, e posteriormente inauguraram outro posto, onde hoje é o Posto Volta Grande. Com a filha, Pierina abriu a fábrica de jeans Jake Pierra e, mais tarde, com o filho e o marido, abriram o restaurante Galeteria O Casarão. Pierina também colaborava nas festas de igreja.

Foi o alicerce da família, uma mulher guerreira e trabalhadora, sempre disposta e prestativa, e que fazia tudo com amor e dedicação. Foi uma mãe amorosa, que pensava no bem-estar da família. Pierina Ferronatto Barichello faleceu em 22 de novembro de 2010.

Projeto de Lei 82/2018: de autoria de José Giovenardi (PR), denomina de “Rua Ercolino Colombo Bolsi” a Rua Projetada C, situada no Loteamento Eduardo Agostini II, no Bairro Agostini. O homenageado nasceu em Nova Bréscia em 1930, em uma família de 12 irmãos. Casou-se com Aurélia Antônia Tocolini Bolsi, com quem foi morar em Encantado. O casal teve três filhos: Serenita, Silvio e Jucemar. Em 1966 a família mudou-se para São Miguel do Oeste em busca de novas oportunidades.

A família residiu no Bairro São Jorge, que na época tinha apenas meia dúzia de moradores. Instalaram uma fábrica de sabão, e posteriormente venderam parte dos equipamentos para a empresa que produz o sabonete Matacura. Após a venda da fábrica, Ercolino Bolsi dedicou-se a fazer fretes e mudanças.

Ercolino cedeu parte de suas terras para a instalação da sede do Corpo de Bombeiros e para a Vila Militar dos Sargentos do Exército. Também sempre atuou na comunidade do Bairro São Gotardo, auxiliando nas festas de colono e motorista, e também emprestava seu caminhão para as missas de Finados no cemitério municipal. Preservava as tradições italianas, cultivando seu parreiral para a produção do próprio vinho. Ercolino Bolsi faleceu em 28 de outubro de 2013, deixando a viúva Aurélia, os três filhos, seis netos e quatro bisnetos.

Projeto de Lei Complementar 15/2018: de autoria do Poder Executivo, altera o sistema de Controle Interno, extingue os cargos em comissão de Diretor do Controle Interno e Chefe de Divisão de Ouvidoria, cria vaga de Advogado Assessor e dá outras providências. O projeto altera trechos da Lei Complementar 24/2013 referentes aos cargos citados, como as atribuições de cada cargo.

Notícias

Justiça julga improcedente ação contra lei que isenta IPTU de pessoas com câncer

Destaques do esporte miguel-oestino recebem Mérito Desportivo da Câmara de Vereadores

Vereadores aprovam projeto que altera trecho da lei do parcelamento do solo urbano

Por decisão judicial, Odemar Marques é afastado das funções de vereador

Vereador pede instalação de câmera de monitoramento próximo ao Caic

Vereadores pedem manutenção da Agência da Celesc de São Miguel do Oeste

Por oito votos a três, vereadores rejeitam projeto de horário livre para comércio, indústria e serviços

Vereadores mirins retomam sessões com homenagem a professora e pedido de melhorias em ginásio

Vereadores aprovam reposição anual a servidores da Câmara

Vereadores solicitam instalação de Casa Abrigo para mulheres vítimas de violência