100%

Projeto estabelece critérios para preencher vagas da educação infantil

Projeto estabelece critérios para preencher vagas da educação infantil Projeto de Everaldo Di Berti cria critérios e estabelece a publicidade das vagas da educação infantil
A Câmara de São Miguel do Oeste aprovou em primeiro turno um projeto de lei que dispõe sobre os critérios de preenchimento e da transparência de informações na distribuição das vagas de educação infantil do Município de São Miguel do Oeste. A proposta, de autoria de Everaldo Di Berti (PSD), foi a votação na noite desta terça-feira (25), durante sessão ordinária.

A proposta prevê os seguintes critérios para preencher as vagas da educação infantil na rede pública municipal: criança cujo responsável resida em São Miguel; crianças em situação de vulnerabilidade ou risco, ou que recebam bolsa família; crianças ou pais ou responsáveis com deficiência física, psíquica ou doenças incapacitantes; crianças cujo responsável trabalhe em tempo integral ou parcial sem benefício de vale creche; crianças cujos responsáveis sejam estudantes em período integral ou parcial; crianças com irmãos estudando na mesma escola; crianças cujos pais ou responsáveis trabalhem no estabelecimento de ensino; família com menor renda familiar; zoneamento residencial dividido em bairros e centro; e zoneamento do local de trabalho, dividido em bairros e centro.

O texto estabelece a aplicação dos critérios na ordem estabelecida pelo edital de seleção de vaga. A proposta também prevê que caberá a cada unidade escolar a participação na seleção dos inscritos, classificação e indicação da escola deferida. Também estabelece que será assegurada a inscrição de todo e qualquer educando, efetuando a matrícula de acordo com o critério de seleção estabelecido e vagas disponíveis.

O projeto de lei obriga a publicidade periódica das vagas disponíveis e preenchidas nas creches e escolas de educação infantil do Município de São Miguel do Oeste, e a lista de espera de cada estabelecimento. Essa publicação deverá ter o número de vagas por turma e unidade escolar, as iniciais do nome de cada criança inscrita, o nome do responsável, e o deferimento ou não da vaga. A publicidade deverá ocorrer em local de visível acesso nas unidades de ensino envolvidas e no site oficial da Prefeitura. O Poder Executivo deverá regulamentar a lei no prazo de 90 dias.

A norma foi aprovada por maioria, com abstenção de Maria Tereza Capra (PT). A vereadora questionou pontos do projeto e chegou a pedir vistas, porém o pedido foi rejeitado por maioria. O texto vai a segunda votação antes de ser enviado ao prefeito para sanção.

Outra matéria aprovada em primeiro turno é o Projeto de Lei Complementar 10/2018, que dá nova redação ao Artigo 2º e altera o Anexo I da Lei Complementar 7/2011, estabelecendo novo limite do perímetro urbano do Município, e contém outras providências.

PROJETOS EM SEGUNDO TURNO

Os vereadores aprovaram também três projetos em segundo turno. Confira mais informações abaixo:

Projeto de Lei 96/2018: de autoria de Cláudio Barp (MDB), declara de utilidade pública a Associação de Pais e Professores do Centro de Educação Infantil Mundo Novo. A entidade tem por finalidade colaborar na assistência e formação do educando por meio da aproximação entre pais, alunos e professores, promovendo a integração entre poder público, comunidade, escola e família.

Entre as finalidades específicas da APP estão interagir junto à escola como instrumento de transformação de ação, promovendo o bem-estar da comunidade, no âmbito educativo, cultural e social; promover a aproximação e a cooperação dos membros da comunidade através de atividades escolares; contribuir para a solução de problemas inerentes à vida escolar, preservando uma convivência harmônica entre pais e responsáveis, professores, alunos e funcionários da escola; cooperar na conservação dos equipamentos e prédio da Unidade Escolar; e administrar, de acordo com as normais legais que regem a atuação da APP, os recursos provenientes de subvenções, convênios, doações e arrecadações da unidade.

Projeto de Lei 98/2018: aprova o projeto de subdivisão de área de terras, em forma de desmembramento, situada no Bairro Progresso, de propriedade de LPM Empreendimentos Imobiliários Ltda. O projeto de subdivisão possui área total de 31.231,08 metros quadrados, distribuídos em 57 lotes vendáveis, ruas, área verde e área de preservação permanente. Emenda da Comissão de Justiça e Redação renomeou o loteamento, que passará a se chamar “Desmembramento Solar do Arcanjo”.

Projeto de Lei 99/2018: autoriza o município de São Miguel do Oeste a receber em doação bens móveis da Secretaria de Estado da Defesa Civil e dá outras providências. Os bens doados são equipamentos e utensílios, como computador, câmera digital, GPS, televisão, trenas, capas de chuva e pranchetas.

Notícias

Vereadores pedem informações sobre obra do Creas, corte de árvores e arrecadação com multas

Ex-prefeito João Valar recebe o título de Cidadão Honorário

Vereadores apelam pela manutenção do polo da Universidade Aberta do Brasil

Câmara presta homenagem à Apae pelos 40 anos de atividades

Vereadores aprovam projetos que autorizam financiamento de R$ 15 milhões

Câmara repassa R$ 350 mil à Prefeitura

Vereadores aprovam leis orçamentárias de São Miguel do Oeste para 2019

Câmara concederá título de Cidadão Honorário a João Valar

Câmara presta homenagem aos 20 anos da Polícia Militar Ambiental em São Miguel do Oeste

Vereadores mirins escolhem Mesa Diretora e aprovam projeto de lei