100%

Projeto estabelece critérios para preencher vagas da educação infantil

Projeto estabelece critérios para preencher vagas da educação infantil Projeto de Everaldo Di Berti cria critérios e estabelece a publicidade das vagas da educação infantil
A Câmara de São Miguel do Oeste aprovou em primeiro turno um projeto de lei que dispõe sobre os critérios de preenchimento e da transparência de informações na distribuição das vagas de educação infantil do Município de São Miguel do Oeste. A proposta, de autoria de Everaldo Di Berti (PSD), foi a votação na noite desta terça-feira (25), durante sessão ordinária.

A proposta prevê os seguintes critérios para preencher as vagas da educação infantil na rede pública municipal: criança cujo responsável resida em São Miguel; crianças em situação de vulnerabilidade ou risco, ou que recebam bolsa família; crianças ou pais ou responsáveis com deficiência física, psíquica ou doenças incapacitantes; crianças cujo responsável trabalhe em tempo integral ou parcial sem benefício de vale creche; crianças cujos responsáveis sejam estudantes em período integral ou parcial; crianças com irmãos estudando na mesma escola; crianças cujos pais ou responsáveis trabalhem no estabelecimento de ensino; família com menor renda familiar; zoneamento residencial dividido em bairros e centro; e zoneamento do local de trabalho, dividido em bairros e centro.

O texto estabelece a aplicação dos critérios na ordem estabelecida pelo edital de seleção de vaga. A proposta também prevê que caberá a cada unidade escolar a participação na seleção dos inscritos, classificação e indicação da escola deferida. Também estabelece que será assegurada a inscrição de todo e qualquer educando, efetuando a matrícula de acordo com o critério de seleção estabelecido e vagas disponíveis.

O projeto de lei obriga a publicidade periódica das vagas disponíveis e preenchidas nas creches e escolas de educação infantil do Município de São Miguel do Oeste, e a lista de espera de cada estabelecimento. Essa publicação deverá ter o número de vagas por turma e unidade escolar, as iniciais do nome de cada criança inscrita, o nome do responsável, e o deferimento ou não da vaga. A publicidade deverá ocorrer em local de visível acesso nas unidades de ensino envolvidas e no site oficial da Prefeitura. O Poder Executivo deverá regulamentar a lei no prazo de 90 dias.

A norma foi aprovada por maioria, com abstenção de Maria Tereza Capra (PT). A vereadora questionou pontos do projeto e chegou a pedir vistas, porém o pedido foi rejeitado por maioria. O texto vai a segunda votação antes de ser enviado ao prefeito para sanção.

Outra matéria aprovada em primeiro turno é o Projeto de Lei Complementar 10/2018, que dá nova redação ao Artigo 2º e altera o Anexo I da Lei Complementar 7/2011, estabelecendo novo limite do perímetro urbano do Município, e contém outras providências.

PROJETOS EM SEGUNDO TURNO

Os vereadores aprovaram também três projetos em segundo turno. Confira mais informações abaixo:

Projeto de Lei 96/2018: de autoria de Cláudio Barp (MDB), declara de utilidade pública a Associação de Pais e Professores do Centro de Educação Infantil Mundo Novo. A entidade tem por finalidade colaborar na assistência e formação do educando por meio da aproximação entre pais, alunos e professores, promovendo a integração entre poder público, comunidade, escola e família.

Entre as finalidades específicas da APP estão interagir junto à escola como instrumento de transformação de ação, promovendo o bem-estar da comunidade, no âmbito educativo, cultural e social; promover a aproximação e a cooperação dos membros da comunidade através de atividades escolares; contribuir para a solução de problemas inerentes à vida escolar, preservando uma convivência harmônica entre pais e responsáveis, professores, alunos e funcionários da escola; cooperar na conservação dos equipamentos e prédio da Unidade Escolar; e administrar, de acordo com as normais legais que regem a atuação da APP, os recursos provenientes de subvenções, convênios, doações e arrecadações da unidade.

Projeto de Lei 98/2018: aprova o projeto de subdivisão de área de terras, em forma de desmembramento, situada no Bairro Progresso, de propriedade de LPM Empreendimentos Imobiliários Ltda. O projeto de subdivisão possui área total de 31.231,08 metros quadrados, distribuídos em 57 lotes vendáveis, ruas, área verde e área de preservação permanente. Emenda da Comissão de Justiça e Redação renomeou o loteamento, que passará a se chamar “Desmembramento Solar do Arcanjo”.

Projeto de Lei 99/2018: autoriza o município de São Miguel do Oeste a receber em doação bens móveis da Secretaria de Estado da Defesa Civil e dá outras providências. Os bens doados são equipamentos e utensílios, como computador, câmera digital, GPS, televisão, trenas, capas de chuva e pranchetas.

Notícias

Câmara presta homenagem a PMs que atuaram em captura de autor de tentativa de latrocínio em joalheria

Projeto que autoriza exploração do terminal rodoviário é aprovado em segunda votação

Vereadora pede informações sobre apostilas da rede municipal

Vereadores indicam serviços públicos à Secretaria de Urbanismo

Câmara aprova projeto autorizando abertura de crédito suplementar

Câmara instaura CPI para apurar possíveis irregularidades em prestação de serviços de fisioterapia

Vereador pede informações sobre cursos de primeiros socorros a professores

Vereadores cobram de operadoras melhores serviços de telefonia móvel

Vereadores aprovam proposta autorizando exploração de terminal rodoviário

Vereadora manifesta repúdio a cortes de verbas na educação