100%

Vereadores derrubam veto a projeto que prevê isenção de IPTU a pessoas com câncer

Vereadores derrubam veto a projeto que prevê isenção de IPTU a pessoas com câncer Vereadores rejeitaram veto do prefeito ao Projeto de Lei 15/2018
Os vereadores de São Miguel do Oeste derrubaram por unanimidade o veto do prefeito Wilson Trevisan ao Projeto de Lei 15/2018. O projeto, de autoria de Silvia Kuhn, Carlos Agostini, Cláudio Barp e Gilberto Berté, todos do PMDB, previa isenção de IPTU sobre imóvel integrante do patrimônio de portadores de neoplasia maligna (câncer) ou seus dependentes. A matéria foi aprovada por unanimidade em duas votações em abril, e foi vetada pelo prefeito, que alegou vício de origem. Na mensagem de veto, o prefeito justifica que o projeto contraria trechos da Constituição, pois interfere em matéria orçamentária e tributária, de competência exclusiva do Poder Executivo.

Em apreciação nesta terça-feira (5), o veto foi rejeitado por unanimidade dos vereadores presentes. O diretor jurídico da Câmara, Vinicius Pelissari, afirmou na sessão que não há vício de competência, e ressaltou que há decisões de tribunais superiores sobre casos semelhantes que apontam a legalidade desse projeto. Votaram contra o veto os vereadores Cássio da Silva, Cláudio Barp, Everaldo Di Berti, Elias Araújo, Gilberto Berté, José Giovenardi, Milto Annoni, Silvia Kuhn, Odemar Marques, Vagner Passos e Vanirto Conrad. Com isso, o projeto de lei será enviado ao prefeito para promulgação; caso não seja publicado pelo prefeito, o texto será promulgado pelo presidente Cláudio Barp.

UTILIDADE PÚBLICA

Na sessão também foi aprovado o Projeto de Lei 57/2018, de autoria de Everaldo Di Berti (PSD), que declara de utilidade pública o Rotary Club de São Miguel do Oeste, com sede e foro neste município. A entidade foi fundada em 23 de novembro de 1968 e se constitui em uma associação filantrópica sem fins lucrativos. Entre seus objetivos está “estimular e fomentar o ideal de servir”, promovendo e apoiando o desenvolvimento do companheirismo, o reconhecimento do mérito de toda ocupação útil e a difusão das normas de ética profissional, a melhoria da comunidade pela conduta exemplar de cada um na sua vida pública e privada, e a aproximação dos profissionais de todo o mundo, visando à consolidação das boas relações, da cooperação e da paz entre as nações. O projeto ainda passará por uma segunda votação antes de entrar em vigor.

Notícias

Câmara vota projeto de lei e vereadores apresentam indicações de obras e serviços

Vereadores aprovam projetos e indicam obras e serviços ao Executivo

Construção de casa de passagem, crianças em risco e respeito à cultura são temas debatidos em audiência pública

Audiência pública vai debater situação de famílias indígenas

Vereadores debatem mão única e propõem alterações no trânsito

Vereadora propõe ensino de Libras na rede municipal

Pedidos de obras no interior são aprovadas na Câmara

Vereadores prestam homenagem aos 12 anos da Lei Maria da Penha

Vereadora propõe desburocratização de exames de audiometria

Rua no Bairro Agostini receberá o nome de Selvino Alfredo Simon